Siga-nos no Instagram: @antena1valedoitajai

CRÍTICOS SE SURPREENDEM COM OS INDICADOS AO HALL DA FAMA DO ROCK

normal--2024-04-22T110622.642

A lista dos indicados ao Hall da Fama do Rock de 2024 está causando burburinho no mundo da música! Anunciada por Lionel Richie em um episódio do “American Idol”, ela trouxe surpresas em sua seleção, indo contra algumas tendências recentes com os homenageados da instituição. A cerimônia de indução está marcada para 19 de outubro no Rocket Mortgage Fieldhouse em Cleveland, Ohio e será posteriormente transmitida pela ABC.

Entre os homenageados na categoria Performer, que reconhece “artistas cuja originalidade, impacto e influência alteraram significativamente o curso do rock & roll”, estão Mary J. BligeCherDave Matthews BandForeigner, Peter Frampton, Kool & The Gang, Ozzy Osbourne A Tribe Called Quest. Artistas como Mariah Carey, Eric B. & Rakim, Jane’s Addiction, Lenny Kravitz, Oasis, Sinéad O’Connor e Sade, apesar de indicados, não foram selecionados para indução este ano.

E como é possível compreender, analisando a lista de artistas de 2024, o Hall da Fama mostra uma clara tendência de se afastar do rock clássico e abraçar uma definição mais ampla de gênero musical. Esta é uma evolução observada nas recentes indicações de ícones como Whitney Houston, Carly Simon e Dolly Parton, entre outros. O objetivo parece ser valorizar a ampla iconicidade cultural de artistas que mantêm uma relevância extensa até o século 21, refletindo as mudanças na indústria musical e nos gostos do público.

Além dos artistas de performance, o Hall também reconhecerá pioneiros do blues com a categoria de influência musical, incluindo o falecido Alexis Korner, John Mayall e “Big Mama” Thornton, fundamentais para as origens do rock n’ roll. A cerimônia também homenageará Jimmy BuffettMC5, Dionne Warwick e o lendário compositor da Motown Norman Whitfield com o Prêmio de Excelência Musical.

A inclusão de artistas menos tradicionais como Kool & The Gang e A Tribe Called Quest, especialmente em suas primeiras indicações, sugere uma reavaliação das contribuições musicais que transcende as barreiras do rock clássico. Este movimento é amplificado pela saída de Jann Wenner do Conselho de Administração do Rock Hall no ano passado, marcando possivelmente uma nova era de diversidade e inclusão na instituição. Para ser elegível para o Hall da Fama, um artista ou banda individual deve ter lançado sua primeira gravação comercial pelo menos 25 anos antes do ano da indicação.

A seleção de artistas deste ano reflete uma abertura para uma variedade mais ampla de sons e estilos, sinalizando talvez um novo capítulo para o Hall da Fama do Rock and Roll, que continua a evoluir e se adaptar aos tempos modernos, ao mesmo tempo que respeita e honra os valores musicais das décadas passadas. A classe de 2024 pode muito bem ser um indicativo de como o Hall pretende equilibrar tradição e inovação nos anos futuros.